sábado, 29 de novembro de 2014

treinamento é renovação

UM MODELO DE ENSINO E PREPARAÇÃO LABORAL DIFERENCIADO




EXCLUSIVA. Somos os criadores do TREINAMENTO OPERACIONAL em Parauapebas. Antes não havia ninguém, nenhuma empresa ou escola que se dispusesse a ensinar operação de equipamentos, soldagem, projetos, a trabalhadores em Parauapebas. O que ouvíamos, debaixo de muitos risos de mofa era: ensinar maranhenses a operar equipamentos e serviços a ainda certificar? Este pessoal fica apenas três meses em cada serviço. E foi assim de recusa em recusa que resolvemos lançar para a base. Publicamos  vinte mil panfletos dentro dos ônibus da mina. Sucesso. 
 
A primeira empresa que confiou nos seus colaboradores e contratou o treinamento foi a MJDT. Fantástico. Agradecemos ainda hoje aqueles senhores empresários, compromissados realmente com   o futuro dos seus negócios.
Depois, analisando o acordo coletivo, percebemos pagamento de R$600,00 para cada demitido fazer um novo curso. Nunca mais paramos de trabalhar. Hoje, treinados mais de dez mil pessoas olhamos para o ontem e todas as incertezas e dificuldades. Com inúmeros acertos e desacertos, estamos prontos para o futuro. Lançamos o curso em supermercado, farmácia, lojas, visando popularizar ainda mais o habito de treinar, estudar, se preparar para o mercado de trabalho.
O Curso Minuto (treinamento a distancia) será uma versão local do Instituto Universal Brasileiro, com o respaldo do nosso sistema de Recrutamento e Seleção, conectando Marabá, Ourilandia do Norte, Barcarena, Canaã dos Carajas e Parauapebas. Junto, vamos apoiar o trabalhador nos testes psicotécnicos, obtenção de certidões negativas, bons antecedentes,  documentos escolares, além de um extensa rede de descontos. Ao mesmo tempo estamos criando uma forte rede de referencias e indicações. Com o advento das RACs, nosso sistema ficou ainda mais fortalecido e passamos a atuar junto as grandes contratações locais.
Formamos mais de 10 mil  trabalhadores em 19 anos de atuação na região. Instruímos profissionais, dentre outras empresas de: VALE – MJDT – ICEC – BUCYRUS – SOTREQ -  ABB – VORTEX – INTEGRAL – REPLACON – REDE CELPA – FACILITA – NORTE QUALIDADE – LUBRIN – RAPIDAO COMETA – HIDELMA – METSO – ODEBRECHT – NETLINK – ALUSA -  CEGELEC - VESSONI – GRANERO – DELLA VOLPE – ALTM – INTERTEK – KSM - ALAIR CALÇADOS – TRANSMINAS – TRANSPESMINAS –  EME – BMT ENGENHARIA – EP ENGENHARIA. – DINEX – SAG ENGENHARIA. – OTRACO GERENCIAMENTO – GRI – RECAPAGEM ALTEROSA – A & M – JÚLIO SIMÕES – MAKRO ENGENHARIA. – M SERVIÇOS – ANGLO AMERICAN – RIP ENGENHARIA – MNC e tantas centenas de outras.
 
AREA DE ATENDIMENTO
Atendemos as cidades agrícolas e industriais do Para, Tocantins e Maranhão, hospedamos os alunos que vem em nossas instalações. A distancia, de qualquer parte do pais e do mundo. Os cursos com aulas teóricas e praticas são  preferencialmente feitos em Parauapebas, ou enviamos material e instrutor a qualquer parte do pais, que viabiliza in loco toda a exigência legal e do negocio especifico.
RECRUTAMENTO
Também recrutamos mão de obra, atuamos para todos nossos clientes de treinamento, ocasionalmente em parceria com as bolsas de trabalho regionais.  Mas a especialização é imperativo e trabalhamos exclusivamente com pequenos grupos e cargos de direção ou gerenciais.
CENTRO DE APOIO AO TRABALHADOR
Como CENTRO DE APOIO AO TRABALHADOR,  buscamos certidões de nascimento, documentos de histórico escolar, certificados de bons antecedentes, hospedagens rápidas, encaminhamentos, etc. formatamos para as autoridades, a CASA DE APOIO AO TRABALHADOR, um local de encontro, hospedagem e serviços, bancados por sindicatos, iniciativa privada e prefeituras. O trabalhador que chega à cidade, sem lar ou amigos, cadastra-se e passa até três dias com direito a café da manha, banho e almoço. Opera de segunda a quinta, fechando aos sábados, domingos e feriados. É uma casa de passagem, com hospedagem unicamente ocasional e temporária.
MODALIDADES DE TREINAMENTO
NÃO PRESENCIAL 
Aqui o aluno faz a matricula e retira todo o material do curso. Estuda em casa ou em sala de aula, sozinho. Vai respondendo um formulário. Quando se sentir pronto, entrega as questões respondidas. Se acertar 60% das respostas, recebe o certificado. Se não, tem até 10 dias para reapresentar as questões respondidas.
Ao se matricular, preenche um currículo, porque vamos encaminhar seu certificado e curriculum para as empresas parceiras. Empresas parceiras são as que contratam trabalhadores certificados.
Ainda, o aluno recebe uma carteira que dá descontos para ele em diversos estabelecimentos comerciais, que vão desde farmácias a supermercados.
PRESENCIAL
Cursos com formação de turmas e em média três meses para conclusão. O certificado e avaliação são os mesmos do NÃO PRESENCIAL.
ESTÁGIO E PRÁTICA
As  aulas praticas são agendadas após a carga teórica. O estagio depende do aproveitamento do aluno, num cruzamento de freqüência e resultado. Para estagiar, o aluno precisa de 95% de frequência e aproveitamento  7, se presencial. Se feito em casa, precisa ser aprovado com nota 7. Entregues as provas, será encaminhado, em 48 horas para a pratica ou estagio sem remuneração.
tudo pago pelo trabalhador ou seu patrocinador.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

A ENGENHARIA DO MOVIMENTO

A ENGENHARIA DO MOVIMENTO

Porque precisamos de operadores qualificados nos içamentos e operações com cargas



Diante da crescente dinâmica das operações em minas na região, faz-se notar a exigência de técnicos qualificados para operar e entender a complexidade dos movimentos de materiais, equipamentos e máquinas. Sobretudo o deslocamento de elementos de conjuntos mecânicos, de partes e peças  em diversos formatos e tonelagem, em conjunto com a ação humana.

A montagem de um galpão, a carga de um recipiente, os diversos deslocamentos em função do tempo, do espaço, dos elementos estruturantes – cabos, os componentes de guindastes e equipamentos de içamento, são determinantes sua compreensão no conjunto e na ação de serviço, fundamentais para a segurança de máquinas e pessoas.

Elaboramos este curso em idos de 2006. Agora percebemos  uma renovação nos hábitos de segurança, econômica em todas as empresas modernas, com técnicas e tecnologias que visam a preservação do seu patrimônio e da vida de seus colaboradores.

---------------------------------------------------------------------------------------

CURSO - PLANEJAMENTO EM MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS - MATERIAIS

Turmas em Canaã e Parauapebas
Investimento - R$ 700,00
Carga Horária - 40 horas
De Segunda à Sexta - Das 19:30 às 22:30

Publico Alvo:

 Profissionais de Segurança do Trabalho;
 Engenheiros;
 Desenhistas / Projetistas;
 Profissionais da Área de Movimentação de Materiais.

Programa:

 Plano de Rigger - Tecnologias;
 Elementos Básicos de Mediação e Conversões Métricas;
 Centro de Gravidade e Princípio da Alavanca;
 Guindastes - Classificação e Aplicação e Componentes;
 Tabela e Diagramas de Carga;
 Condições Adversas (Crítica a Estabilidade);
 Estudo de Rigging;
 Sinalização e Técnicas de Comunicação;
 Lingas;
 Acessórios para Lançamento;
 Segurança na Operação;
 Movimentação de Grandes Cargas;
 Meio Ambiente e o Rigger;
 Desenvolvimento Real de Movimentação e Planejamento.

Mais Informações: (94) 3346-3559 / 3346-2804 / 8808-0287 / 9163-2168 / 8104-1694

E-mail: exclusiva01@msn.com
Endereço: Rua 2, Nº 52, Bairro Cidade Nova - Parauapebas - PA - CEP: 68515000

---------------------------------------------------------------------------------------


Segue partes do curso, momento em que o treinando terá oportunidade de vivenciar  a  elaborado percepção do que é deslocamento de materiais e seu papel no contexto.







Temos  o curso em duas cidades – Canaã e Parauapebas, mas pode ser solicitado para qualquer lugar, deslocamos nosso pessoal e recursos pra atender em canteiros, alojamentos, salas e centros de estudo, em todo o Brasil.

Empresas locais, mas que atuam em todo pais, são potenciais clientes para este curso, assim como todas as grandes empreiteiras e montadoras como ANDRADE GUTIERREZ, CAMARGO CORREA,  NORBERTO ODEBRECHT, NOVA INTEGRAL, MAKRO, SANTIN, LOCAR, MACKO, VALE e outras.

Certificados em 3 dias úteis após termino do curso









segunda-feira, 2 de junho de 2014

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E RENOVAÇÃO. NOVAS DEMANDAS DA MINERAÇÃO - PARTE 2

VULCANIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE CORREIAS



Os processos de recuperação que serão ensinados:

1 - Emenda de correia de lona a frio (Serviço realizado no empreendimento do cliente):
Para realizar a emenda da correia é necessário posicioná-la no local da banca, cortar as
lonas e lixar a superfície, dar duas demãos de cola, fazer o fechamento com um rolo duplo
e dar o acabamento final.
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Aparas e pó da correia;
•  Estopas impregnadas com solvente;
•  Vasilhames vazios de cola, solvente e catalisador;
•  Trinchas impregnadas com cola.

2  –  Emenda  de  correia  de  lona  a  quente  (Serviço  realizado  no  empreendimento  do
cliente):
Monta–se a banca e posiciona-se a correia, cortam-se as lonas e as lixas, limpa-se com
solvente, passam-se duas demãos de cola, enche-se o vão de fechamento com borracha
de ligação, coloca-se o tecido não tecido para o fechamento, monta-se as placas dando
pressão e aquecendo para que ocorra a vulcanização e dar o acabamento final. 
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Aparas e pó das correias;
•  Latas de cola vazias;
•  Estopas impregnadas com solvente;
•  Trinchas impregnadas com cola;
•  Adesivo  plástico  (polietileno)  que  vem  protegendo  a  superfície  adesiva  da
borracha de ligação.

3  –  Emenda  de  correia  de  cabo  de  aço  (Serviço  realizado  no  empreendimento  do
cliente):
Na emenda da correia é necessário posicioná-la no local da banca; rachar a correia e
abrir os cabos; lixar os cabos e fazer a emenda deles com braçadeiras ou pregos; dar
duas demãos de cola; encher o vão com borracha de ligação; colocar o tecido não tecido
para  fazer  o  fechamento;  colocar  as  placas  dando  pressão  e  aquecendo  a  uma
temperatura final de 150 °C e dar o acabamento nas bordas.
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Aparas e pó das correias;
•  Aparas de cabo de aço;
•  Estopas impregnadas com solvente;
•  Trinchas impregnadas com cola;
•  Latas vazias de cola;
•  Adesivo  plástico  (polietileno)  que  vem  protegendo  a  superfície  adesiva  da
borracha de ligação.



4 – Revestimento de tambores ou peças a frio:
A empresa recebe o material e avalia o tipo de revestimento, lixa o tambor e limpa com
raspador  químico,  aplica  duas  demãos  de  cola  e  reveste  o  tambor  com  o  lençol  de
borracha e da o acabamento final.
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Aparas retiradas do revestimento;
•  Pó do lixamento do tambor;
•  Estopas impregnadas com solvente;
•  Aparas do lençol de borracha;
•  Vasilhames vazios dos produtos químicos utilizados;
•  Trinchas impregnadas com cola.

5 – Revestimento de tambores ou peças a quente:
A  empresa  recebe  o  tambor  e  avalia  o  tipo  de  revestimento,  retira  o  revestimento
remanescente e limpa o tambor com solvente, aplica duas demãos de cola e reveste o
tambor com borracha crua, leva à autoclave e vulcaniza, após da o acabamento final.
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Revestimento remanescente dos tambores;
•  Refugo de borracha;
•  Trinchas impregnadas com solvente;
•  Particulados gerados na caldeira;
•  Aparas e pó de borracha vulcanizada.

6 – Revestimento de borracha com cerâmica:
A empresa fabrica as tiras de borracha, prepara a superfície lixando, aplicando a cola e o
material de cobertura, monta a prensa e vulcaniza na temperatura correta. Este processo
é feito em toda a extensão da correia.
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Fita adesiva;
•  Trincha usada na aplicação dos produtos;
•  Rebarbas de borracha vulcanizada.

7 - Recuperação de correias:
A empresa recebe a correia, prepara a superfície lixando, aplicando a cola e o material de
cobertura, monta a prensa e vulcaniza na temperatura correta. Este processo é feito em
toda a extensão da correia.
Ao final do processo os resíduos gerados são:
•  Vasilhame metálico de cola e solvente;
•  Aparas e pó das correias;
•  Trinchas impregnadas com cola;
•  Adesivo plástico (POLIETILENO).

Ficara assim a composição do curso:
CURSO TEORICO E PRATICO DE VULCANIZAÇÃO DE CORREIAS TRANSPORTADORAS
CARACTERISTICA
·         Duração: 300 Horas, sendo 100 hs em sala de aula e 200 hs na prática.
·         Pré-requisitos para Inscrição: 1º Grau Completo
·         A quem se destina: A mecânicos, estudantes, ajudantes e profissionais que desejam assimilar ou aprimorar o seu conhecimento  vulcanização de correias. E também Profissionais da área de supervisão que não tenha tido beneficio de um aprendizado e/ou treinamento formais.

CARACTERISTICA
·         Teoria: Este curso transmite informações difíceis ou impossíveis de serem obtidas apenas na pratica. Utiliza recursos audiovisuais, exercícios, palestras e debates em classe.
·        Tópicos abordados:
Ø  Principio gerais da manutenção de correias;
Ø  Principio da combustão
Ø  O produto borracha: química, compatibilidades, processos;
Ø  Conceito de emendas vulcanizadas a frio;
Ø  Órgãos que regem ABNT, DINA, SAE, etc,;
Ø  Ferramentas de trabalho (descrever...);
Ø  Cuidados e manuseio das trocas da correia transportadora;
Ø  Inspeções e manutenção preventiva em correias transportadoras e vulcanização;
Ø  Calculo de área de emenda e suporte de massa, etc..;
Ø  Erros de ajuste de emendas e corretivos;
Ø  Tabelas de dimensões e compatibilidade físico-química;
Ø  Importância do controle das emendas;
Ø  Leitura e interpretação de projetos e de emendas.
Ø  Tecnologia geral de construção de correias – madeiramento/tábuas e afins
Ø  Conhecimento de ferramentas apropriadas para o trabalho;
Ø  NORMAS DE SEGURANÇA: Normas ABNT – NR 00 – Condições e Meio Ambiente de trabalho na  (Noções Básicas); Higiene e Segurança no Trabalho; Meio ambiente: gestão de resíduos sólidos Leitura e interpretação de projeto (planta baixa/estrutural/arquitetônico);

Prática: As aulas praticas, são realizadas em oficinas de vulcanização conveniadas.Este curso aprimora as habilidades dos participantes e lança conhecimentos práticos de marcação de emendas e abrimento de pontas de emendas em correias de lonas e de malha de aço fechamento de emendas em correias de lonas e de malhas de aço ar quente e ar frio, revestimento em peças diversas tiras como tambores calhas e chutes etc. Os alunos participam das atividades diárias na sala, inspeções diárias do correias, kit de ferramentas de trabalho, como proceder em caso de pane elétrica e danos na correia.


Imagens diversas de vulcanização e imagens do treinamento geral, com os novos alunos de guindauto e todos recentes. Com a frase: SOMOS EXCLUSIVA. SOMOS ON DEMAND


Parte 2

terça-feira, 27 de maio de 2014

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E RENOVAÇÃO. NOVAS DEMANDAS DA MINERAÇÃO

CURSO  DE  VULCANIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE CORREIAS TRANSPORTADORAS CURSOS DE SINALEIRO RIGGER.

Esta nova oferta de treinamento vem de encontro a forte demanda e a ausência quase completa desses profissionais prontos no mercado de trabalho. Com a simplificação das RACs, em parte devido  a baixa escolaridade dos trabalhadores disponíveis no mercado local, em parte pela pressão e forte demanda de custos – tempo e dinheiro, no retreino dos reprovados, temos uma oferta maior e uma necessidade de maior atenção ao treinamento especifico das tarefas de mina. Também, com o aumento dos postos de trabalho em serviços de infraestrutura – estradas, ferrovias, pontes para escoamento da produção mineral,  intensa movimentação de máquinas e cargas exigem a qualificação de trabalhadores em novas funções antes relevadas. Neste dois quesitos, o mercado necessita de VULCANIZADORES e de SINALEIROS RIGGER. Conforme descrição  ao final deste texto, a EXCLUSIVA CONSULTORIA oferta estes dois produtos, tanto individual – nosso formato exclusivo, quanto na formação de turmas de até vinte pessoas – teórico e prático.

Disponibilizamos ainda para as empresas, a preparação do PCMSO, PPRA e todos os relatórios de trabalho exigidos. Ainda, temos psicólogos disponíveis para aplicação de testes psicotécnicos e acompanhamento psicológico, dentro da nossa visão holística do trabalhador: Corpo e mente!



Este curso apresenta os conceitos básicos para a movimentação de carga, bem como as sinalizações corretas de acordo com as normas de segurança.

Rigger é o responsável pela preparação da carga, execução de todas as manobras que estão planejadas no plano de içamento.
 
Carga horária 16 horas;
Aulas teóricas  pode ser de  manhã, a tarde ou noite;
Aulas práticas nos em  dias livres ou finais de semanas;
Apostilas gratuitas;
Certificado e carteira do operador entregues 24 após conclusão;
Inicio imediato;







FORMAÇÃO DE RIGGER -SINALEIRO
Objetivo: Com o objetivo de atingir o máximo em Segurança no Trabalho, este curso foi desenvolvido seguindo rigorosamente normas nacionais e internacionais, considerando Técnicas de Movimentação e Içamento de Carga, além de Padrões e normas internas de grandes indústrias nacionais.
Público Alvo: Este curso é indicado para pessoal com envolvimento direto na manobra e coordenação de campo, tais como Líderes, Encarregados, Supervisores e demais profissionais com curiosidade sobre o assunto como capacitação complementar.
Instrutores: Instrutores credenciados para o treinamento proposto.
Certificação: Será emitido um certificado para cada participante do curso, contendo seu nome, as horas/aula cumpridas pelo aluno, e no verso o conteúdo programático.
Também será fornecido um termo de encerramento do curso, que, juntamente com as listas de presença, são evidências da realização do treinamento.
A empresa contratante deverá encaminhar, com o prazo de 01 dias de antecedência, relação nominal e RG dos participantes do treinamento para que os certificados sejam entregues em até 01 dia útil após a realização do curso.

Como eu faço para dizer ao operador o que eu quero que ele faça com a carga que esta em seu guindaste?

Quando você aluga um guindaste ou guindauto (caminhão munk), você quer utilizar ao máximo este equipamento fazendo valer todo o dinheiro aplicado.
Você precisa ser capaz de comunicar de forma rápida e eficiente com o operador, para que este possa fazer o que exatamente você precisa que seja feito. Felizmente para que este comunicação seja feita de forma clara e segura, existe uma linguagem universal para orientar os movimentos do guindaste… Os sinais manuais.
Estes mesmos sinais são usados oficialmente em todo o mundo … mas aqui no Brasil, vemos algumas variações bastante criativas, por isto sempre que um sinaleiro entra em um canteiro de obras este deve conversar com o operador e os demais sinaleiros sobre as praticas locais, pois, esta variações são regionais e de empresa para empresa.
Não tenha medo da longa lista de sinais, você pode orientar de forma muito eficaz os movimentos do seu operador de guindaste.
Pois com a prática este se tornam simples e intuitivos, pois isto o sinaleiro deve sempre atuar com atenção e a prática continua, abaixo algumas das responsabilidades que o sinaleiro deve saber:

  • O sinaleiro se torna aos olhos do operador de guindaste. Muitas vezes, o operador não pode ver a carga, seja ao longo de um telhado plano ou do outro lado de uma parede, etc…  As vezes mesmo a carga bem a sua frente dele, o operador não pode ver através dela e prever onde possa haver um obstáculo.
  • O sinaleiro deve ter consciência de cada movimento que a carga fará a cada sinal. CO Os sinais para guindaste destinam-se a dizer ao operador do guindaste o que ele fazer e em qual direção a carga irá. Um sinal faz com que o guindaste se mova, gire suba e desça carga.
  • Certifique-se que seus sinais são visíveis para o operador. Existe um sentimento de que o mantendo um contato visual com o operador este estará vendo seus sinais. Errado … E esta é uma falsa percepção que um bom sinaleiro tem que trabalhar duro para mudar, pois um bom sinaleiro deve saber quando seus sinais estão sendo visto, interpretados e executados pelo operador. Muitos operadores ignoram os sinais por acreditarem que já sabem o que deve que ser feito, isto é uma prática ariscada, pois o sinaleiro que deve orientar o operador e não o contrario. Um bom operador sabe que ele não pode executar nenhum movimento de seu equipamento sem que lhe seja dada uma orientação

 

Porque utilizar sinais se é mais fácil simplesmente falar o que quero?

Esta é uma pergunta comum a muitos, alguém podem achar o uso da comunicação verbal muito mais simples, já que dispomos de uma infinidade de palavras e de dispositivos de comunicação e um dos mais utilizados no canteiro de obras é o rádio comunicador. Para alguns falar CERTO é simples mas para alguns…
Bem… Sim, talvez… Acho que… Pode descer, desce um pouquinho, um bocadinho, um tantinho… Não, sobe… Sobe!!! Sobe!!! Para, para, para!!! Xiiiii bateu… Assim como a comunicação pode parecer simples, também pode se tornar algo complicado e estressante.

 

Vantagem do uso dos sinais

  • Clareza. O “vocabulário limitado” dos sinais padrões evita um duplo entendimento, enquanto a comunicação verbal pode apresentar hábitos regionais como sotaque, gírias e termos diferentes o que dificulta o entendimento. Um “Sinaleiro” só pode utilizar um sinal, ou uma combinação de sinais, para orientar um determinado movimento da máquina.
  • Velocidade. A velocidade que viaja uma imagem é similar a velocidade da luz. Mais importante ainda, com a prática, a mão humana pode formar um sinal complexo mais rápido do que a língua possa emitir uma única sílaba.
  • Distância. Os guindastes geralmente são utilizados quando se necessita de um raio maior de alcance ou a carga deve ser manuseada sobre de obstáculos. Instruções verbais se tornam mais difíceis de interpretar entre o locutor e o ouvinte, mesmo o uso do rádio que pode sofrer interferência e chiados com isto aumentando o risco de desentendimento e movimento errados.
  • Barulho. Em um ambiente industrial ou de construção existe muito barulho, o que pode interferir em uma comunicação verbal, quando utilizamos sinais este barulho não interfere em nada.
O  curso de Sinaleiro Rigger possibilita ao profissional orientar o operador de equipamentos de içamento de carga (ponte rolante, empilhadeiras, macaco hidráulico, guindauto e caminhões especiais), verificar possíveis interferências, isolar área e aplicar check list para a operação.
Conteúdo Programático:
1) Tipos de equipamentos usados para movimentação de cargas
     (gruas, guindastes, talhas, pontes rolantes, empilhadeiras etc)
2) Definição dos elementos de içar
3) Guindastes
4) Sinais convencionais usados nas operações com guindastes
5) Precauções e cuidados durante a movimentação de cargas
6) Armazenamento de materiais
7) Montagem e instalação de equipamentos
8) Amarração de cargas
9) Segurança : legislação e normas regulamentadoras
Habilitação: Sinaleiro Rigger - Duração: 16 horas - Turnos: Matutino e Noturno.



Parte 1

sexta-feira, 16 de maio de 2014

UM MUNDO SEM FRONTEIRAS


A QUALIFICAÇÃO DOS NOSSOS PROFISSIONAIS É ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL


No momento como consultoria a EXCLUSIVA esta  trabalhando em função da qualificação dos  profissionais de Parauapebas  e região. Mesmo sem a definição de algumas empresas, em tornar-se nossas parceiras em treinamento de mão-de-obra, a demanda por qualificação na cidade é crescente  e estamos buscando excelência neste trabalho.

As exigências de treinamento especifico por parte da VALE, com as derivadas das NR, RAC – Requisito de Atividades Criticas, definitivamente colocaram estas empresas frente a frente com a demanda real de qualificação em segurança do trabalho. Não apenas a qualificação de segurança da uma estabilidade maior ao trabalhador, mas a qualificação na sua atividade específica – sua área profissional, soldador, mecânico e outros.
O esgotamento da mina de Carajás traz novas preocupações de segurança – uma cava mais profunda, instabilidade de terreno, uma mao de obra mais envelhecida, equipamentos mais usados.

Mas não poderíamos deixar de falar da questão humana: pessoas com as habilidades e conhecimentos necessários a inserção neste novo mundo: educação e treinamento, paradigmas essenciais para a sustentação deste novo modelo, desta nova realidade de convivência do eu/tu/eles. Quem nos educa para a plena vivência, para este novo, como diria Lacan,  “élan” de oportunidades, de estreitos relacionamentos que vão desde o alimentar, o vestir, pentear, informar, viver? Quais são as novas regras para participarmos da cadeia mundial de suprimentos e sinergias?

Talvez a educação responsável. Os jovens neste contexto não podem apenas sair das escolas, tem de estar qualificados, talvez no experimental modelo americano, de um segundo grau com mais tempo e conteúdo profissional,  ou mesmo criar um modelo de qualificação que atenda nossos negócios locais e específicos.
E em Parauapebas é crítico e urgente enfrentarmos este problema. Há cada vez mais jovens com segundo grau se propondo a serem ajudantes. Estão procurando oportunidades e precisando, as empresas já exigem pelo menos um curso na área a que se propõe trabalhar. Acho mesmo que as empresas, tão sábias no sul do país,  estão relativamente perdidas frente a esta realidade de mercado fortemente empregador: esquecem de custos, terceirização, educação, treinamento, qualidade. Estão exclusivamente expostas a seus contratos e seus riscos. Estamos todos perdendo. É preciso manter a possibilidade de crescimento, de forma sustentada, constante. No centro do processo, o homem e suas necessidades.
Acreditamos em Parauapebas e região. Acreditamos que o novo prefeito deva trabalhar as reais potencialidades da cidade, abrindo-a para a participação e o desenvolvimento, cedendo espaço para quem produz conhecimentos e novos valores. Acreditamos na riqueza da floresta. Acreditamos na riqueza dos homens e mulheres que fazem desta cidade este sonho. Mais ainda, esta ânsia de novos conhecimentos e vivências, nesta renovação constante, precária, estimulante, nestas ondas de esperança.
E justamente agora em que se iniciam novos debates sobre as matrizes econômicas que podem substituir ou complementar o esgotado produto mineral, estas novas profissões precisam ser reguladas e estabelecido conteúdos.

Estamos neste momento, preparando um treinamento específico para a formação de vulcanizadores, profissional necessário e procurado. Nosso novo curso será em breve apresentado aqui.

É nessa realidade que a EXCLUSIVA CONSULTORIA esta inserida, com o objetivo de conscientizar e abrir os olhos de empreendedores para a atual necessidade da cidade: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL.

Vivemos um momento único em Parauapebas, onde parcerias com pequenas, médias e grandes empresas estão sendo firmadas, dentre as quais podemos ressaltar que estarão na vanguarda dos novos tempos que nos espera, sem a total dependência da mineração.

Existe uma palavra que esta constantemente no dicionário da EXCLUSIVA, chama-se INOVAÇÃO, e é pensando em inovação que alem das empresas, procuramos os Sindicatos como nossos parceiros, formando assim um circulo forte, onde todos ganham e principalmente o trabalhador e empreendedores local.

Participamos de um momento peculiar, onde devemos lutar a favor da qualificação e requalificação constante de nossos profissionais,  criando assim as bases para que tal profissional esteja preparado para ser absorvido pelo mercado de trabalho e que também tenha a flexibilidade de mudar de profissão, se assim se fizer necessário.

A EXCLUSIVA CONSULTORIA trabalha para que outras empresas firmem parcerias e faça parte desse sonho: QUALIDADE DE VIDA PARA TODOS. VER NOSSOS PROFISSIONAIS OCUPANDO VAGAS QUE OUTRORA SERIAM OCUPADAS POR TRABALHADORES DA REGIÃO SUL E SUDESTE.

No momento como consultoria a EXCLUSIVA esta  trabalhando em função da qualificação dos  profissionais de Parauapebas  e região. Mesmo sem a definição de algumas empresas, em tornar-se nossas parceiras em treinamento de mão-de-obra, a demanda por qualificação na cidade é crescente  e estamos buscando excelência neste trabalho.

As exigências de treinamento especifico por parte da VALE, com as derivadas das NR, RAC – Requisito de Atividades Criticas, definitivamente colocaram estas empresas frente a frente com a demanda real de qualificação em segurança do trabalho. Não apenas a qualificação de segurança da uma estabilidade maior ao trabalhador, mas a qualificação na sua atividade específica – sua área profissional, soldador, mecânico e outros.
O esgotamento da mina de Carajás traz novas preocupações de segurança – uma cava mais profunda, instabilidade de terreno, uma mao de obra mais envelhecida, equipamentos mais usados.

Mas não poderíamos deixar de falar da questão humana: pessoas com as habilidades e conhecimentos necessários a inserção neste novo mundo: educação e treinamento, paradigmas essenciais para a sustentação deste novo modelo, desta nova realidade de convivência do eu/tu/eles. Quem nos educa para a plena vivência, para este novo, como diria Lacan,  “élan” de oportunidades, de estreitos relacionamentos que vão desde o alimentar, o vestir, pentear, informar, viver? Quais são as novas regras para participarmos da cadeia mundial de suprimentos e sinergias?

Talvez a educação responsável. Os jovens neste contexto não podem apenas sair das escolas, tem de estar qualificados, talvez no experimental modelo americano, de um segundo grau com mais tempo e conteúdo profissional,  ou mesmo criar um modelo de qualificação que atenda nossos negócios locais e específicos.
E em Parauapebas é crítico e urgente enfrentarmos este problema. Há cada vez mais jovens com segundo grau se propondo a serem ajudantes. Estão procurando oportunidades e precisando, as empresas já exigem pelo menos um curso na área a que se propõe trabalhar. Acho mesmo que as empresas, tão sábias no sul do país,  estão relativamente perdidas frente a esta realidade de mercado fortemente empregador: esquecem de custos, terceirização, educação, treinamento, qualidade. Estão exclusivamente expostas a seus contratos e seus riscos. Estamos todos perdendo. É preciso manter a possibilidade de crescimento, de forma sustentada, constante. No centro do processo, o homem e suas necessidades.

Acreditamos em Parauapebas e região. Acreditamos que o novo prefeito deva trabalhar as reais potencialidades da cidade, abrindo-a para a participação e o desenvolvimento, cedendo espaço para quem produz conhecimentos e novos valores. Acreditamos na riqueza da floresta. Acreditamos na riqueza dos homens e mulheres que fazem desta cidade este sonho. Mais ainda, esta ânsia de novos conhecimentos e vivências, nesta renovação constante, precária, estimulante, nestas ondas de esperança.
E justamente agora em que se iniciam novos debates sobre as matrizes econômicas que podem substituir ou complementar o esgotado produto mineral, estas novas profissões precisam ser reguladas e estabelecido conteúdos.

Estamos neste momento, preparando um treinamento específico para a formação de vulcanizadores, profissional necessário e procurado. Nosso novo curso será em breve apresentado aqui.

É nessa realidade que a EXCLUSIVA CONSULTORIA esta inserida, com o objetivo de conscientizar e abrir os olhos de empreendedores para a atual necessidade da cidade: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL.

Vivemos um momento único em Parauapebas, onde parcerias com pequenas, médias e grandes empresas estão sendo firmadas, dentre as quais podemos ressaltar que estarão na vanguarda dos novos tempos que nos espera, sem a total dependência da mineração.

Existe uma palavra que esta constantemente no dicionário da EXCLUSIVA, chama-se INOVAÇÃO, e é pensando em inovação que alem das empresas, procuramos os Sindicatos como nossos parceiros, formando assim um circulo forte, onde todos ganham e principalmente o trabalhador e empreendedores local.

Participamos de um momento peculiar, onde devemos lutar a favor da qualificação e requalificação constante de nossos profissionais,  criando assim as bases para que tal profissional esteja preparado para ser absorvido pelo mercado de trabalho e que também tenha a flexibilidade de mudar de profissão, se assim se fizer necessário.

A EXCLUSIVA CONSULTORIA trabalha para que outras empresas firmem parcerias e faça parte desse sonho: QUALIDADE DE VIDA PARA TODOS. VER NOSSOS PROFISSIONAIS OCUPANDO VAGAS QUE OUTRORA SERIAM OCUPADAS POR TRABALHADORES DA REGIÃO SUL E SUDESTE.


terça-feira, 1 de abril de 2014

RAC – REQUISITOS DE ATIVIDADES CRITICAS - OPERADOR DE CAMINHÃO GUINDAUTO – SINALEIRO DE RIGGER – OPERADOR DE RIGGER

Nossos cursos e treinamentos são oferecidos em caráter individual. Há muito percebemos a necessidade dos nossos clientes, em obter atenção especial, focada na sua demanda especifica. Enfrentamos o desafio do treinamento individual, sempre que possível.
RIGGING é engenharia de movimento. É arte pura, aliada a muito calculo e percepção de oportunidade. Rara aplicação de logística de materiais e movimento, o operador de rigging é o artista do movimento seguro. Nosso curso tem 10 anos e já formou grande numero de operadores. Agora, temos uma nova demanda local e estamos prontos para fornecer material tanto para estudo a distancia, quanto para nossas salas de aula, em turmas ou individual.
SINALEIRO DE RIGGER é a nova exigência e linguagem das empresas. Temos uma estrutura desenvolvida  para nossos treinamentos de SINALEIRO, e para todos os cursos que envolvem movimentação de materiais, tais como GUINDASTE, MUNCK, PLATAFORMA ELEVATORIA, SKY e outros equipamentos. Adaptar nosso cursos para especifico SINALEIRO DE RIGGER  foi uma tarefa tranqüila e com conhecimento de causa.
OPERADOR DE EQUIPAMENTOS, são cursos voltados para motoristas ou operadores não certificados. Partimos do principio legal, onde a carga de aulas praticas sequem requisitos da lei. TODA A CARGA PRATICA é feita individualmente, como nas AUTO ESCOLAS.

NOSSOS CLIENTES, tanto em testes psicotécnicos, quanto em cursos teóricos e práticos, contam com todos os prestadores de serviços ativos para Carajás e Região, tais como JULIO SIMÕES LOGISTICA, SOTREQ, METSO, PARCAN, RADIADORES NACIONAL, LUCRAIA, MECAMÓVEIS,  FORMATTO, SAAEP, RIWA, DUCOL, PRAXAIR, dentre tantas outras, todas descritas em nossos blogs. Visitem: nossosservicos1.blogspot.com ou nos visite, R. 2 nr 52 – Cidade Nova – Parauapebas/Pa.